em Tratamentos

Quem já teve cistite (inflamação da bexiga) sabe como é ruim. Os sintomas mais desconfortáveis são a dor e a dificuldade de urinar. Agora imagine os animais de estimação passando por esse terrível incômodo.

Foi o caso da cadelinha Luna (foto) que chegou à Clínica Integrativa Pet com sintomas como sangue na urina, dor e urinando de pouquinho em pouquinho.

“Primeiramente decidimos entrar com antibiótico e pedi para repetir o exame de urina assim que terminasse o tratamento. No retorno, o exame da Luna ainda apresentava sinais de infecção e ela teve um novo episódio de sangue na urina. Ao invés de repetir o antibiótico decidi, junto à tutora, iniciar tratamento com homeopatia. Após duas semanas fizemos novos exames de urina e estavam todos normais.  O resultado do tratamento homeopático para Luna foi excelente”, conta a veterinária Viviane Reis.

A cistite canina pode se manifestar de forma aguda ou crônica e afeta cães de qualquer idade ou raça. Pode ser desencadeada, por exemplo, por infecção bacteriana: a partir da zona anal as bactérias podem chegar na bexiga através da uretra provocando uma infecção seguida de inflamação. As fêmeas são mais propensas a esse tipo de infecção por terem a uretra mais curta.

Estudos nesse campo apontam as bactérias Eschericchia coli, Proteus spp, Pseudomonas aeruginosa, Enterococcus spp e Enterobacter spp como as mais comuns nos casos de cistite em cães.

Mas há outros fatores que podem levar à cistite canina: pedras (cálculos) e tumores na bexiga (que por vezes necessitam de cirurgia), diabetes (facilita a proliferação das bactérias devido ao alto nível de glicose no sangue), medicamentos e tratamentos que fragilizam o sistema imunológico como a quimioterapia.

O sintoma mais visível é o constante desejo de urinar, mas em pouca quantidade e, dependendo da gravidade do caso, só em pequenas gotinhas que podem ser acompanhadas de sangue.

Por isso o tutor deve estar atento ao fato de que, se o cachorro acostumado a fazer xixi somente na rua começa a fazer também em casa, isso pode ser indício de uma cistite e não de mau comportamento.

O cachorrinho pode também ficar hiperativo, andando de um de lado para o outro por conta da vontade de urinar e choramingar ao tentar fazer xixi.

Aos primeiros sintomas o animal deve ser levado ao veterinário e nunca ser tratado com remédios caseiros que podem até agravar o quadro. O veterinário fará um exame clínico (de apalpação), mas também deve pedir cultura da urina e ultrassom para detectar as prováveis causas da doença e delinear melhor o tratamento.

Normalmente, num primeiro momento, para conter a infecção e o desconforto, são receitados antibióticos. Mas a homeopatia, conforme o caso relatado acima, também pode tratar a doença. Além disso, incentivar que o bichinho beba bastante água durante e depois do tratamento é fundamental.

 

Postagens Recentes
Mostrando 4 comentários
  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Amo homeopatia……. claro que antibióticos e anti inflamatórios, dependendo da gravidade são necessários… mas a homeopatia sempre é uma opção maravilhosa….. adorei saber que em pets, são alternativas muito eficientes…. 👍🏼👍🏼

  • Vera lucia
    Responder

    Fico feliz que a homeopatia tenha ajudado nesse caso e ajudará em outros com certeza, nunca deixe de consultar o veterinário, ao menor sinal. Gosto muito da homeopatia, e saber que tem
    Eficiência nos pets.

  • Célia Estender
    Responder

    Amo homeopatia tbm é amo a maneira de como a Dra. Viviane trata e cuida dos nossos Pets, com todo carinho , dedicação e cuidado, pensando no tratamento e no bem estar dos nossos Pets. Obrigada pelo carinho e o cuidado que sempre teve com a Luna. Agradecemos de coração.

  • William
    Responder

    Temos uma Bulldog francês fêmea com cistite crônica. Tratamos com antibiótico várias vezes,
    Após exames de urinálise cultura, com processos após identificado melhor medicamento para o tipo de infecção, mas mesmo assim ela volta a ter a urina com odor forte (odor horrível). Sempre à limpamos com lenço umedecido, lavamos o local onde urina frequentemente, ela vive dentro de casa. Não sabemos mais o que fazer, ela tem síndrome de cuching, tratamento acompanhando com endocrino vet, bebe muita água e urina bastante, mas o odor não passa. A Veterinaria informou que por odor forte e sem apresentar sangramento, ou mais indicações como dor e falta de apetite, ficar pelos cantos e outros sintomas, o indicado é não voltar com antibiótico, mas é difícil ver nossa pequena assim. A síndrome a deixa insaciável, quer comer o dia todo, água sempre. Alguém teria alguma dica de como tratar esse odor? Obrigado

Deixe um comentário para Vera lucia Cancelar resposta

× Como posso te ajudar?