em Tratamentos

Alguns tutores conseguem perceber que o cãozinho está com mais fome, sede e cansaço, mas é somente quando formigas começam a ser atraídas pelo xixi dele que, de fato, vem a desconfiança de uma diabetes.

E isso é um problema porque quanto antes a diabetes é detectada, logos nos primeiros sinais que incluem aumento do apetite, emagrecimento e frequente vontade de urinar, mais chances o bichinho tem de não sofrer complicações da doença.

A diabetes faz com que o organismo pare de produzir insulina ou produza uma quantidade insuficiente desse hormônio. Como resultado o animal começa a ficar sem energia e com excesso de açúcar no sangue.

Claro que a oferta abusiva de petiscos e guloseimas tem culpa nisso, mas outros fatores contribuem para que um cão desenvolva a diabetes: predisposição genética, obesidade, alguns medicamentos, pancreatite e hiperlipidemia (excesso de gordura no sangue).

Segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) de SP, o maior número de casos de diabetes canina aparece entre os 7 e 9 anos de idade. E a entidade estima que um a cada 100 cães que atingem 12 anos de idade desenvolverão a doença que pode ser do tipo 1, mais relacionado à genética, e do tipo 2 que está mais ligado à obesidade e sedentarismo.

Ainda segundo o CRMV, as fêmeas não castradas são cerca de duas vezes mais afetadas do que os machos. Isso porque a incidência da doença cresce durante o diestro – fase após o cio na qual a cadela não é mais receptiva ao macho e que dura em torno de 75 dias.

“Classicamente considera-se que as fêmeas são mais predispostas à diabetes em decorrência dos efeitos da progesterona e do hormônio do crescimento liberado pela glândula mamária em resposta a progesterona durante o diestro”, afirma o Dr Álan Gomes Poppl, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na pesquisa “Diestro e diabetes mellitus canina: o que há de novo?”, assinada por ele.

“Um estudo americano com 65 cadelas diabéticas evidenciou que 8% delas encontravam-se em diestro quando desenvolveram diabetes. Um estudo realizado na região de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, encontrou uma incidência de 95% de fêmeas diabéticas em uma série de 20 pacientes. O mesmo estudo evidenciou que cerca de 69% destas pacientes desenvolveram a doença durante o diestro. A vasta diferença entre o percentual de fêmeas que desenvolveram diabetes durante o diestro pode ser conseqüência da prática de esterilização das fêmeas ser muito mais freqüente nos EUA do que no Brasil”, diz a pesquisa.

Nos dois tipos de diabetes o tratamento implica numa nutrição balanceada, que deve ser muito bem monitorada, e aplicação de insulina. Rações específicas para diabetes, por exemplo, ajudam a glicose a chegar mais lentamente ao sangue, mas também é possível administrar uma alimentação caseira prescrita por veterinário.

Quanto à insulina, deve ser mantida na geladeira e, geralmente, injetada duas vezes ao dia.  Como é um tratamento diário, o tutor precisa aprender a aplicar sob orientação de um veterinário.

Caminhar 20 minutos por dia, correr e brincar são atitudes essenciais para ajudar no controle da doença. Mas atenção: o tratamento deve ser seguido à risca, pois, a diabetes descontrolada pode ter sérias consequências como catarata, retinopatia, problemas no fígado, renais e até neurológicos. E como a diabetes afeta os níveis de colesterol e triglicérides pode acabar provocando também hipertensão e problemas cardíacos.

Embora cães de todas as raças possam desenvolver a diabetes, estudos apontam algumas mais predispostas à doença: Poodle, Schnauzer, Labrador, Pug, Lhasa Apso, Dachshund, Spitz e terriers. A prevenção está praticamente nos bons hábitos alimentícios e combate ao sedentarismo.

What you like for you vs What you New thread: Do you like the Teach us, Pegasus Ok man, I’ve read through the Posted By Pegasus 11 replies 3 Weeks Ago. where to buy cialis over the counter in malaysia Trimming vs Shaving Do you prefer to be shaved totally All times are GMT The time now is AM.

Postagens Recentes
Mostrando 4 comentários
  • Vera lucia
    Responder

    Que ótima essa matéria, diabetes em cães, todos tem que fica muito alerta ao s sinais , quando o cuidado é precoce menos os bichinhos sofrerão.

  • Hellen
    Responder

    Isso mostra a importância da boa alimentação e atividade física! Eles são tal qual a nós, seres humanos!

  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Alerta aos sinais. Da diabetes….. o mais importante para garantir mudanças de hábitos e tratamento precoce… 👍🏼👍🏼

  • Lívia de Freitas
    Responder

    Muito importante essas orientações.
    Obrigada

Deixe um Comentário

× Como posso te ajudar?