em Alimentação Natural

Muitos tutores estão adotando uma alimentação natural sem saber que, embora esse tipo de nutrição seja muito benéfica para a saúde em geral, também oferece riscos aos animais se não for estabelecida a partir da orientação de veterinários ou zootecnistas. Isso porque, assim como nós, os cães e gatos têm suas particularidades.  Nem tudo que faz bem para alguns, faz bem para todos.

Por isso a dieta natural deve ser prescrita por um profissional que, além de pedir vários exames para saber a condição geral do animal, colocará na balança a idade, o porte, peso, hábitos e comportamento do cão ou do gato.

A alimentação natural “por conta própria” pode levar à desnutrição ou deficiência de vitaminas e minerais que, por sua vez, podem desencadear doenças.

“Já atendi um animal que a tutora tratava com alimentação natural por conta própria há 2 anos sem qualquer orientação. Nos exames detectei deficiência de Vitamina B12 (cianocobalamina).  A B12 é super importante para formação de hemácias e para o sistema nervoso central. Vale destacar que usando carnes e ovos em proporções adequadas essa vitamina dificilmente necessita de suplementação. Então imaginem como essa dieta estava desbalanceada!”, comenta a veterinária Viviane Reis da Clínica Integrativa Pet, de SP.

“Não se pode adotar uma alimentação natural sem dar importância aos suplementos, pois é única forma de alcançarmos os níveis adequados de vitaminas e minerais. Na dieta caseira cozida sem ossos, por exemplo, a quantidade de cálcio disponível é irrisória para o que cães ou gatos precisam. O organismo tenta manter tudo equilibrado e vai tirando cálcio do osso para compensar essa deficiência. O tutor só vai perceber isso quando ossos como o da mandíbula já estão parecendo borracha. Ou seja, quando a deficiência nutricional já está grave”, alerta a veterinária.

Outro aviso importante: a adoção de comida natural não é a mesma coisa que oferecer aos animais domésticos o que seus tutores comem, como pizza de atum para gatos ou feijoada para os cães. Além do perigo de temperos, como cebola e alho, essas comidas podem fazer muito mal a eles. A alimentação natural deve ser equilibrada, personalizada (com aquilo que o animal pode e deve comer) e suplementada (para que ele receba os nutrientes na dose certa).

Importante também não confundir alimentação natural com consumo essencialmente de frutas e legumes. Os cães e gatos são carnívoros e ainda que gostem e possam comer certas frutas e verduras, o ideal é que a dieta contenha também proteína animal. A dieta precisa ter um equilíbrio entre proteínas, gorduras, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais. E, ainda assim, são necessários suplementos para compensar ou impedir déficits nutricionais.

A alimentação natural pode ser oferecida por meio de alimentos cozidos ou crus, com ou sem ossos.  Os benefícios são: sabor e textura mais atraentes (especialmente para animais com paladares muitos exigentes ou convalescentes), fezes mais firmes e com menos odor, menor produção de gases, maior resistência às doenças e melhor hidratação.

Problemas como obesidade, diabetes, alergias de pele e alimentar, cardiopatias, pancreatite, câncer, gastrite, doenças do trato intestinal e urinário podem ser amenizados e por vezes até sanados com a alimentação natural sob a supervisão de um veterinário. Algumas dietas caseiras podem, por exemplo, ser criadas especialmente para animais com doença renal crônica com menor teor de fósforo e proteínas.

Além de carnes e ovos, a alimentação natural faz uso de carboidratos e fibras presentes em alimentos como abobrinha, chuchu, vagem, rúcula, brócolis, cenoura, beterraba, inhame, batata doce, mandioca, ervilha e arroz integral. Entre as gorduras estão os óleos de coco e de peixe.

E existem alimentos que devem ser evitados como a cebola, chocolate, leite, pão, salsicha, uva, café, macadâmia e carambola, entre outros que podem ser listados por um veterinário. O importante é fazer uma transição da alimentação industrializada para a natural com tranquilidade e segurança porque cada bichinho é um ser único, com seus pontos fortes e frágeis, e com necessidades específicas em cada fase da vida.

Postagens Recomendadas
Mostrando 13 comentários
  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Vamos voltar ao tempo antigo….. tudo era melhor…. não existia rações…..❤️

  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Acredito muito na alimentação natural… ela é muito mais saborosa e podemos variar cardápios… tudo bem orientado, claro! Da ate para economizar um bom dinheiro…❤️

  • Vera lucia
    Responder

    Alimentação natural , claro se a gente gosta de comer o mais possível natural então devemos também fazer com que nossos queridos animais Tenham o mesmo uma boa alimentação é a base de tudo como está bem explicado aqui , muitas doenças são evitadas . Muito boa a matéria .

  • Karina
    Responder

    O importante é sempre o bom senso, não é mesmo? Sou vegetariana e nem por isso posso esperar que meus animais possam ser…
    Acho o fato de eles não puderem comer chocolate muito bom pq assim sobra mais pra mim 🙂

    • Lívia de Freitas
      Responder

      Complicado, não sou muito boa em comidas naturais, mas estou melhorando. Meu cachorro adora atum junto da ração. Come com mais prazer. Então eu dou . Evito muita coisa hoje em dia . Acredito q acompanhando sempre essas dicas estou mais consciente.
      Grata

  • Michelangelo
    Responder

    Ótimas dicas, essa alimentação natural muito bem vinda, não podemos dar nossa comida e saber dosar muito bem os alimentos assim evitando doenças ou coisas mais graves uma boa orientação como essa é tudo de bom para os cachorrinhos

  • fatima chuecco
    Responder

    Eu lembro que na época que ainda não tinha tanta ração industrializada, minha mãe tratava de nossos gatos com sardinha crua que ela trazia da feira. Era muito engraçado porque uma de nossas gatinhas gostava de pescar a sardinha (obviamente já morta) de dentro de um pote d`água. Molhava a cozinha toda e depois de jogar a sardinha pra todo lado e se convencer que estava mesmo “abatida”, por fim comia… e sem engasgar. Era a alimentação natural daquela época. Hoje não imagino minhas gatas comendo uma sardinha lotada de espinhos. … no máximo um peixe já “limpo”. Mas acho que a alimentação natural, sob orientação, é a melhor coisa. Comer “pedrinha” de ração todo santo dia não deve fazer muito bem.

    • Débora
      Responder

      Concordo com o que foi dito. Tem que ter supervisão mesmo. Uso AN com meu cão pq ele tem displasia e não podia engordar e ele come mto bem. As rações são bem mais práticas mas a gente não sabeo que tem dentro delas, leio mto a respeito e sei que as empresas colocam qqer coisa nelas. Mas com o aumento da consciência e divulgação sobre as vantagens da AN,muitos tutores estão passando para esse tipo de alimentação que considero muito mais saudável. Pena que seja mais difícil pros gatos mudare.,.eles gostam de ração e não consegui que os meus comam AN.

  • Camis
    Responder

    Adorei a matéria!! Meus gatos obesos aprovaram!!! Mas Calvin está aqui dizendo que gosta mesmo é de azeitona… 🙂

  • Marileusa
    Responder

    Quero há muito tempo investir numa alimentação mais saudável para meu filhote.
    Adorei a matéria!

    • IntegrativaPet
      Responder

      Oi Marileusa, tudo bem?

      Se você for de São Paulo, podemos te ajudar! 🙂
      Entre em contato através do número (11) 99424-4286

  • Vânia
    Responder

    É, minha vizinha dava pro cachorro exatamente o que ela comia. Absurdo isso!

  • Bruno Santos
    Responder

    Meu cachorro come alimentação saudável há bastante tempo e cuidamos para que ele não tenha déficits de nutrientes. Muito importante esse assunto.

Deixe um Comentário

× Como posso te ajudar?