em Tratamentos

Dianna é uma gatinha que há dois anos foi diagnosticada com insuficiência renal crônica. Por ter 15 anos de idade e nunca ter manifestado sintomas antes, estima-se que a doença surgiu principalmente em decorrência da idade. Embora ela tenha se mantido no estágio I da doença, que é o mais leve, sintomas como vômitos frequentes e fezes pastosas eram frequentes, além do visível emagrecimento.

Durante um ano e meio ela tratou as crises típicas da insuficiência renal, que levam o animal a perder o apetite, tomar muita água e ficar apático, com fluidoterapia (soro com medicamentos para o estômago e fígado). Com esse tratamento de emergência, Dianna sempre saía das crises depois de dois dias bem abatida, mas logo em seguida, num curto espaço de tempo, os vômitos, principalmente de madrugada e de manhã, recomeçavam junto com as fezes amolecidas.

Ao entrar num tratamento homeopático para amenizar os sintomas da doença, Dianna ganhou muita qualidade de vida em pouco tempo. A partir do terceiro dia de tratamento os vômitos cessaram e as fezes foram normalizando depois de duas semanas. A rapidez dos efeitos fez Dianna se alimentar melhor a ponto de pedir sachê quatro a cinco vezes por dia. Ela continua com ração seca terapêutica, mas só a ração não era até então suficiente para regularizar as funções gastro-intestinais.

Muito importante destacar que a homeopatia foi prescrita por uma veterinária especializada nessa terapia complementar. A Dra Viviane Reis, da Clínica Integrativa Pet de SP, estudou Dianna “de cabo a rabo”, literalmente. Além de analisar os exames de sangue e ultrassom, a veterinária pediu um relato completo do cotidiano da gatinha, procurando entender sua personalidade, seu status emocional e o ambiente em que ela vive. Com base nas informações clínicas e comportamentais, a veterinária prescreveu o tratamento via glóbulos que foi imediatamente aceito pela Dianna.

É fundamental frisar que Dianna continua sendo uma paciente de insuficiência renal crônica. Conforme a veterinária explica, a homeopatia não cura a doença, mas trata os sintomas de modo a tornar a vida do bichinho mais confortável, com uma melhora do apetite e dos sintomas gastro-intestinais, entre outros que possam ser manifestados de acordo com cada doença e com cada animal.

 

Fácil administração

Dianna é o tipo de gata que não se deixa manipular. A idade a deixou ainda mais temperamental e dar-lhe qualquer remédio via oral é uma missão impossível: ela urra, ataca e por fim se esconde em lugares da onde ninguém mais consegue tirá-la. Mas o apetite melhorado com a homeopatia contribuiu para com o próprio tratamento, pois, facilita a administração de vários glóbulos por dia amassados no patê que Dianna aprecia.

Aliás, vale ressaltar que essa é uma grande vantagem da homeopatia porque vários animais são praticamente impossíveis de serem medicados da forma tradicional, ou seja, com cápsulas ou líquido colocados diretamente na boca deles. Gatos são ainda mais difíceis. Eles percebem a presença de remédios na comida e não comem de jeito nenhum. Ficam tão desconfiados que, às vezes, passam a rejeitar determinado sachê apenas pela lembrança de que nele pode ter algum “elemento estranho”.

Mas os glóbulos homeopáticos não têm cheiro nem sabor e os gatos devoram os sachês sem qualquer desconfiança. Para que o tratamento seja perfeitamente aproveitado é necessário dissolver os glóbulos em pequenas porções de patê de forma que nada sobre no pratinho. Os glóbulos podem ainda ser dissolvidos nas vasilhas com água fresca permitindo que o animal receba gradativamente as doses do tratamento.

O tempo e a intensidade de uma resposta positiva ao tratamento homeopático variam de animal para animal, e também de acordo com cada doença e estágio da mesma. Para Dianna os resultados foram rápidos, por isso ela segue com a homeopatia e, aliás, agradece a saborosa oferta de sachê várias vezes por dia.

 

 

Postagens Recomendadas
Mostrando 8 comentários
  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Acredito muito no tratamento homeopático….. quando a minha cadelinha era viva, procurei alternativas de remédios para alguns problemas que ela vinha tendo na saúde… e , infelizmente naquela época, ainda não existia muitas opções de tratar com homeopatia…. hoje, graças a especialistas, podemos contar com esses recursos 👍🏼👍🏼🙏🏼

  • Débora
    Responder

    A homeopatia não trata só sintomas, ela cuida do ser e seus desequilíbrios chamados de doença. Pode ser que no caso da doença renal ela não cure mas há várias doenças nas quais a alopatia não pode fazer nada mas a homeopatia sim. Tenho um gato com herpes gengival que só tem tratamento na homeopatia e ele está ótimo. Trato a mim e a meus bichos com homeopátia há mto tempo com muito sucesso. Sem falar que ela não tem efeitos colaterais como a alopatia. Para mim é a medicina do futuro!

  • Hellen
    Responder

    Para mim, a homeopatia é maravilhosa ! E se funciona tão bem para nós, humanos, por que não funcionaria para os animaizinhos ?

  • Vera lucia
    Responder

    Que assunto muito interessante, acredito muito na homeopatia, como melhora a qualidade de vida dos bichinhos. Fácil de administrar, não tem cheio , nem gosto, muito bom mesmo, e eles realmente se sentem muito melhor. Gostei demais da história da Dianna . 👏👏👏

  • Vera lucia
    Responder

    A homeopatia faz um bem enorme para humanos, e que bom que o bichinho pode também ter mais essa opção de tratamento, adorei a história da Dianna que ela fique cada vez mais forte. 👏👏

  • Vera lucia
    Responder

    Ótima assunto , a homeopatia veio pra ajudar, uma alternativa muito boa , para os bichinhod também. A história da Dianna é um exemplo de como o tratamento e eficaz embora não tem cura, mais a qualidade de vida é visível.

  • Karina
    Responder

    Incrível a rapidez com que o tratamento fez efeito. Parabéns a Dr. Viviane Reis e equipe.

  • Rita Martins
    Responder

    A homeopatia é excelente principalmente quando há necessidade de tratamento prolongado.

Deixe um Comentário

× Como posso te ajudar?