em Tratamentos

Uma nova esperança para o tratamento complementar de câncer em animais vem de uma planta semiparasita chamada Viscum album. Essa terapia já é bastante difundida na Europa tanto em humanos quanto em animais e agora começa a ganhar espaço também no Brasil.

Segundo artigo publicado em 2013 pelos médicos Angelica Munst, Nilo Gardin e Dietrich Schlodder, após anos de pesquisa, “as indicações oncológicas do Viscum album abrangem todos os tipos de câncer, em qualquer estágio da doença e em qualquer momento de seu curso – mesmo após a remissão completa, para prevenção de recaída”.

Mas é também indicado nos casos de pré-cancerose, ou seja, nos estados diagnosticados de predisposição ao desenvolvimento do câncer:

“A razão para tais indicações é que a ação do Viscum album não é apenas direcionada ao tumor, mas ao organismo como um todo, por seus efeitos positivos sobre o sistema imunológico e a medula óssea, sobre as forças formativas e a autorregulação”, diz o artigo.

Além disso, segundo os médicos, “o Viscum album reduz a incidência dos efeitos adversos do tratamento convencional, especialmente da quimioterapia e radioterapia – como vômitos, cefaleia, depressão, exaustão, dificuldade de concentração, distúrbios do sono, irritabilidade, tontura, fadiga e aumenta significantemente a qualidade de vida”.

Conheça alguns casos clínicos

A veterinária Viviane Reis, da Clínica Integrativa Pet, de SP, utiliza Viscum album no tratamento de cães e gatos com câncer.

“A forma que mais utilizo na rotina é a injetável. Observo que pacientes que usam não só o Viscum album, mas outras terapias complementares, têm uma melhor qualidade de vida para lidar com o câncer. Mais importante do que a expectativa de vida é o bem-estar que podemos proporcionar aos pets. É importante para os tutores e para os seus animais que eles se mantenham ativos, brincando e comendo até o fim. E é exatamente isso que buscamos”, comenta.

Atualmente ela trata com Viscum e homeopatia o gatinho Junior, de 12 anos, por conta de um carcinoma em intestino. “Ele fez a cirurgia para retirada do tumor e desde então estamos usando Viscum para evitar ao máximo a recidiva desse tumor que é superagressivo. Estamos há 6 meses sem qualquer sinal de recidiva e muito felizes pelo resultado”, diz a veterinária.

Simba, um york de 15 anos, é outro paciente da Dra Viviane. Ele tem um tumor agressivo que, segundo Viviane, muito provavelmente pode ser um caso inoperável, descoberto em novembro de 2020. Para dar qualidade de vida e evitar que o tumor crescesse muito rápido, Simba passou a usar Viscum diariamente. Ele também segue bem desde então.

Margot, uma buldogue francesa de 6 anos, teve um hemangiossarcoma no baço em setembro do ano passado. “Ela operou, fez quimioterapia e aplicações de Viscum para minimizar os efeitos da quimioterapia. Depois de terminar a quimio mantivemos o protocolo para evitar nova recidiva do tumor. Margot também segue sem vestígios de tumor”.

O cãozinho Toby, cego e com 12 anos de idade, fez exame de ultrassom essa semana: “No resultado apontou dois nódulos, um em rim outro em baço. Também começamos protocolo diário incluindo Viscum, esperando que o mocinho continue bem”, relata a veterinária. Leia o caso de Toby AQUI

Conheça melhor o Viscum album

Na Europa, o Viscum album já é administrado, com frequência, há mais de 100 anos em casos oncológicos, com destaque para a Alemanha onde, segundo levantamento feito em diversos hospitais em 1998, 58,4% dos pacientes com câncer usavam terapias complementares, e destes, 61,6% usavam Viscum.

Essa planta foi usada para fins medicinais pela primeira vez por via subcutânea na Suíça, em 1917, pela médica Ita Wegman, como tratamento complementar de câncer. Os estudos, desde aquela época, cresceram bastante apontando os efeitos anticancerígenos do Viscum album.

Além das indicações para diversos tipos de câncer, o Viscum album é comumente receitado para tumores não malignos, infecções nas vias aéreas, doenças articulares e para aumentar a imunidade do organismo diante de outras doenças como a FIV e a FeLV. Leia mais sobre isso AQUI.

Postagens Recomendadas
Mostrando 2 comentários
  • Rosemary polycarpo
    Responder

    Demorou mais chegou!!! Só de saber que em outros países esse tratamento já existe a tanto tempo….. mas, graças aos veterinários que buscam sempre novos métodos para tratar nossos pets, agora podemos contar com mais essa ajuda……muito bommmmmmmm..👍🏼🥰🙏🏼

  • Vera Lucia
    Responder

    nossa que ótima notícia e de saber que já é aplicada em outros países com sucesso é bom de mais , parabéns aos. veterinarios que estão incluindo mais um benefício para os nossos amados bichinhos.

Deixe um Comentário

× Como posso te ajudar?