em Tratamentos

Corta o coração vermos nossos bichinhos de estimação sofrendo com dores que não amenizam com tratamentos convencionais. Por isso é importante começar a pensar em tratamentos novos como a Ozonioterapia que, além de atuar sobre dores de origens diversas, ainda ativa o sistema imunológico. Até mesmo em animais com problemas neurológicos, com dificuldade de locomoção ou que deixaram de andar, esse tratamento funciona muito bem. E tem sido utilizado como terapia coadjuvante nos pacientes oncológicos amenizando os efeitos da quimioterapia.

Mas o que é ozonioterapia?

Em primeiro lugar é preciso explicar que não se trata de terapia alternativa, mas complementar, isto é, ela pode ser administrada junto com outros tratamentos mais convencionais potencializando bons resultados. É muito comum, inclusive, ser aplicada em conjunto com a acupuntura.  A Ozonioterapia consiste na aplicação da mistura do gás ozônio e oxigênio no organismo para provocar efeitos anti-inflamatórios, antibacterianos e cicatrizantes.

E o melhor: é uma terapia de fácil administração em animais de estimação, porque não requer sedação ou anestesia. Os animais geralmente aceitam bem esse tipo de tratamento que, dependendo do caso, pode variar entre 5 e 10 sessões. Os efeitos das aplicações costumam ser rápidos e visíveis a partir da primeira ou segunda semana de tratamento, principalmente em casos de dores crônicas.

“Eu sempre uso ozonioterapia com bastante sucesso nos casos de dores. Muitas vezes associo com sessões de acupuntura quando o paciente está com bastante dor e a resposta é sempre muito favorável. Os tutores costumam relatar que o animal fica bem melhor após as sessões”, comenta a médica veterinária Viviane Reis, da Clínica Integrativa Pet, localizada no bairro de Perdizes, em SP.

Como exemplo, a veterinária cita o caso grave de um animal que chegou ao seu consultório com as vias urinárias obstruídas e que não tinha tido sucesso em tratamentos anteriores: “Realizei sondagem e lavagem com soro ozonizado. O cálculo se desfez e o animal voltou a urinar normalmente. Mas nem todos os casos de cálculos urinários respondem a esse tipo de abordagem. Então cabe ao veterinário do paciente e o ozonioterapeuta avaliarem juntos se tem indicação ou não”.

As formas de aplicação da Ozonioterapia são muito variadas e também levam em consideração a condição do animal. Pode ser retal, local, muscular, por meio de óleo ozonizado (usado para feridas na pele e otite) ou bagging, utilizado principalmente para problemas de pele (coloca-se a parte ferida e o tubo de ozônio dentro de um mesmo invólucro), entre outros.

Um tratamento de vanguarda

A Ozonioterapia pode ainda fazer uso da chamada “auto-hemoterapia”, que consiste na retirada de sangue do paciente para ser reinjetado nele mesmo com objetivo de ativar o sistema imunológico. Nesse caso, o tratamento com Ozonioterapia envolve a mistura do sangue do paciente com ozônio. Esse método de aplicação se divide em “auto-hemoterapia maior” (quando injeta-se o sangue ozonizado na veia) e “auto-hemoterapia menor” (quando o sangue ozonizado é injetado no músculo ou pontos de acupuntura).

A Ozonioterapia age ainda de forma muito eficaz no chamado “estresse oxidativo”: quando há situações que exigem muito esforço de defesa do organismo como no caso de infecções, câncer, diabetes, doenças reumatológicas e neurodegenerativas. O desequilíbrio celular presente nesses casos responde bem à Ozonioterapia.

E pode também dar bons resultados nos seguintes problemas: feridas de difícil cicatrização e úlceras, inflamações intestinais, dores relacionadas à hérnia de disco, artrite e artrose, problemas circulatórios, queimaduras, infecções como otites e citites, dermatopatias alérgicas e insuficiência renal crônica.

Postagens Recomendadas
Mostrando 9 comentários
  • Dante
    Responder

    Muito boa a reportagem

  • Roberto Blatt
    Responder

    É sempre bom ter essas alternativas àos tratamentos com remeédios

  • Rosemary
    Responder

    Graças aos novos tratamentos, nossos animais terão uma nova chance de ficarem bem, sem dor e mais saudáveis… adoro!!!!👍🏼👍🏼👏🏻👏🏻

  • Raquel
    Responder

    Interessante! Não sabia que a aplicação da ozonioteriapia era tão ampla. Tive a indicação do tratamento para auxiliar na cicatrização de ferida em um animalzinho meu.

    • Hellen Ferreira
      Responder

      Tudo o que é para o bem estar dos nossos bebês, é bem vindo!!!

  • Camila
    Responder

    Ótima matéria!! Adorei

  • Lívia de Freitas
    Responder

    Puxa, quanta informação importante. Super obrigada.

  • Aurea Maria dos Santos
    Responder

    Muito interessante essa matéria, que compartilha solução para o sofrimento dos animais! Amei!

  • Débora Miliorini
    Responder

    Faço ozonioterapia em meu cão com 13 anos para tratar displasia e ele tem se dado mto bem. A vet também faz a autohemoterapia associada e posso dizer que nós estamos mto satisfeitos com os resultados. Além disso, sigo tratamento homeopático para ele que o tem ajudado muito. Não considero esses tratamentos como alternativos, visto que são muito antigos e bem sucedidos. A questão é que eles são menos conhecidos e mais baratos que os tratamentos alopáticos. Para quem não sabe, displasia é uma degeneração das articulações que pode deixar o animal sem poder se locomover e não há cura a não ser o uso de próteses. Por tudo isso recomendo fortemente o uso do ozônio não só em animais como em humanos também.

Deixe um Comentário

× Como posso te ajudar?