em Tratamentos

Cuidado! Se você observar seu gatinho tossindo, não se engane achando que é apenas pelo na garganta ou que ele está tentando expelir bola de pelo. Embora essas hipóteses não possam ser descartadas, a tosse felina muitas vezes significa asma ou bronquite – duas doenças respiratórias que têm como principal desencadeador um agente alergênico, mas que também podem ser geradas ou agravadas por fatores emocionais.

Foi assim com o Batholomeu (fotos), carinhosamente chamado de Barthô. “Ele chegou na clínica em novembro de 2020 com crises de tosse e já tinha sido tratado com anti-inflamatórios e broncodilatadores por três vezes consecutivas, mas terminava o tratamento e logo as crises voltavam”, conta a veterinária Viviane Reis da Clínica Integrativa Pet, de SP.

Até o início da quarentena esse lindo gatinho reinava sozinho em seu lar, mas sua tutora adotou um filhotinho e Barthô viu seu “trono” desmoronar. Além disso, ele também foi castrado. Essas duas alterações na vida de Barthô o fizeram se afastar de sua família humana.

A tutora relata que, além de mais distante, ele ficava o tempo inteiro de olho no outro gatinho e, muitas vezes, nem dormia direito só para “vigiar” o filhotinho. Foi então que as crises de tosse começaram.

“Fiz toda anamnese pensando em problemas físicos e emocionais e, como sempre digo, o pet tem que ser analisado como um todo e não apenas sua doença. Com o Barthô não foi diferente. Estava claro que toda essa mudança e as emoções estavam contribuindo para o adoecimento dele”, explica a veterinária.

“Entrei então com um tratamento homeopático para harmonizar os sintomas físicos mas, principalmente, as emoções do Barthô. Quinze dias após iniciar a homeopatia a tutora relatou que ele estava mais solto e amoroso. O tratamento homeopático foi mantido e em março ele continuava bem, sem crises”, complementa.

Produtos de limpeza podem desencadear problemas respiratórios

Principalmente nesses tempos em que, por conta da pandemia, as pessoas estão usando em maior quantidade produtos de limpeza em suas casas, o contato dos gatos com esses resíduos pode gerar problemas de saúde nas vias respiratórias.

Aerossóis, desinfetantes e aromatizantes de ambientes são alguns dos principais vilões se inalados pelos felinos, porém, mofo, fumaça, pólen, algumas plantas, ar condicionado e até mesmo a areia do gato podem provocar respostas imunológicas como, por exemplo, produção intensa de muco e obstrução dos brônquios que levam à limitação da passagem de ar.

A inalação desses produtos afeta os brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares e esse processo compromete a capacidade de troca gasosa e oxigenação geral do organismo do gato.

Asma e bronquite não são doenças transmissíveis, nem de gato para gato e muito menos de gato para humanos como, aliás, muito tempo atrás se pensava ser.  Antigamente, aquele ronronar dos felinos era confundido com asma e muita gente deixava de ter esses animais ou mesmo os abandonava com medo de pegar a doença.

Ambas as doenças são crônicas e não escolhem idade nem raça. Qualquer gato pode ficar asmático. Além disso, uma doença pode levar à outra constituindo um quadro conhecido como “Complexo Bronquite-Asma Felina”. Crises eventuais de tosse ou tosse frequente, sibilo (ruído respiratório) e dificuldade respiratória são alguns dos sintomas presentes nessas enfermidades.

Mas esses sinais podem se tornar mais graves com o tempo fazendo o gato ter insuficiência respiratória e procurando, por exemplo, respirar com a boca aberta. Se esse nível é atingido trata-se de uma emergência.

Os exames laboratoriais e de imagem são fundamentais para descartar outros problemas pulmonares como pneumonia, edema pulmonar, parasitas pulmonares e cardiomiopatias.

Tanto a asma quanto a bronquite exigem controle e tratamento por toda a vida, sem falar, é claro, da eliminação do agente alergênico se for esse o motivo da doença.

Postagens Recomendadas
Mostrando 4 comentários
  • Pri
    Responder

    Adorei a matéria! Bem que eu percebo que minha gata é alérgica a produtos.

  • Vera lucia
    Responder

    Muito mesmo perigoso produtos usados em casa, o gatinho cheira tudo e lambe tambem, todo cuidado é pouco. E a observação é muito importante nas reações dele. Fazer tratamento caso venha acontecer essas doenças é muito importante.

  • Camila
    Responder

    Meus gatos não tossem, mas espirram bastante. Vou investigar se pode ser alguma coisa assim. Talvez eu esteja usando algum produto que faz mal…

  • Karina
    Responder

    Nao tenho gatos, mas meus cachorros espirram toda vez que uso álcool gel em spray! Realmente importante ficar atento pra isso. E que bom poder contar com a homeopatia!

Deixe uma resposta para Vera lucia Cancelar resposta

× Como posso te ajudar?